GRAVIDEZ DE ALTO RISCO E A PROGRAMAÇÃO DA GESTAÇÃO

GRAVIDEZ DE ALTO RISCO E A PROGRAMAÇÃO DA GESTAÇÃO

Compartilhe:

A gravidez é um evento biologicamente natural, porém desenvolve-se em um contexto social e cultural que influencia e determina a sua evolução e a sua ocorrência.

Aproximadamente 20% das gestantes apresentam maiores probabilidades de evolução desfavorável, tanto para ela como para o feto, constituindo o grupo chamado de gestantes de alto risco.

Conhecer o acontecimento da concepção, a programação e o desejo de ter um filho, mesmo tendo conhecimento de que tenham agravo anterior a gestação, poderia contribuir para a melhoria do cuidado e assistência as gestantes. Algumas doenças podem se agravar durante a gestação.

Existem fatores desfavoráveis que podem surgir antes ou durante a gestação. Os principais são:


Características individuais - Altura menor que 1,45 m, peso com IMC menor que 19 ou maior que 30, fumo, álcool, estresse físico e emocional, idade materna acima de 35 anos.

História Obstétrica Prévia – Abortamento habitual, óbito fetal, parto prematuro, restrição de crescimento fetal, malformação fetal, diabetes gestacional.

Condições Clínicas – Hipertensão Arterial, diabetes, tireoidopatias, hemopatias, nefropatias, cardiotopatias, doenças autoimunes, trombofilias, síndrome antifosfolípidica.

Intercorrências Clínicas – Doenças infecciosas, principalmente infecção do trato urinário inferior e pneumopatias.

Doenças Diagnosticadas na gestação – Cardiopatia, hemopatia, endocrinopatia, neoplasia.

Intercorrências Obstétricas – Pré-eclampsia, diabetes gestacional,  gemelaridade, placenta prévia, rotura prematura de membranas, trabalho de parto prematuro, alteração do líquido amniótico, alteração da vitalidade, restrição de crescimento.


Como evitar a má evolução da gestação?


Quem já tiver tem algum problema de saúde deveria procurar o especialista quando estiver programando a gravidez, principalmente se fizer uso de alguma medicação que precise ser alterada ou suspensa.

Nas mulheres saudáveis é no decorrer dos meses que as doenças gestacionais podem surgir e com acompanhamento correto podem ser diagnosticadas precocemente e tratadas. Caso o acompanhamento e o tratamento não sejam feitos, o feto pode morrer, há risco de trabalho de parto prematuro, complicações metabólicas e glicêmicas no bebê.

As recomendações médicas irão variar a cada caso. Algumas gestantes podem precisar de repouso absoluto e outras podem precisar se exercitar com acompanhamento profissional adequado para ficarem bem.

É por isso que o pré natal é essencial para a melhor evolução da gestação e identificação da gestação de alto risco, contribuindo para a diminuição da morbidade perinatal, independente da idade materna e condições atuais de saúde, para garantir a vida e a saúde de mãe e bebê.

Mais artigos de Drª. Simone Anselmo Junkes Vilhena