Esqueceu sua senha?

Não é cadastrado? Cadastre-se

termos do contrato

Já é cadastrado? Login

Drª. Letícia Soares Boing

Conselho Regional: CRM/SC 18912 / RQE 14674

Endocrinologia Pediátrica

OBESIDADE NA INFÂNCIA

Nos últimos anos tem se observado um aumento importante na prevalência de obesidade infantil em todo o mundo. No Brasil esses números podem variar de 10 a 23% das crianças, conforme a região do país, entre casos de sobrepeso e obesidade.

Vários fatores estão relacionados à gênese da obesidade. Entre os mais comuns estão os fatores genéticos (ambos os pais obesos elevam em 80% o risco de obesidade nos filhos), metabólicos (consumo de alimentos ricos em açúcares simples e gorduras, com alta densidade energética), sedentarismo (aumento do tempo que as crianças destinam em frente às telas, como computadores, videogames e tablets) ou a combinação desses fatores. Entretanto uma parcela menor dos casos pode ser decorrente de alguma condição médica, como doenças hormonais ou uso contínuo de medicamentos a base de corticoides.

O interesse maior na prevenção da obesidade infantil está em evitar a associação da mesma à outras doenças metabólicas como a dislipidemia, hipertensão, resistência insulínica e doenças cardiovasculares. Ainda, o excesso de peso tem impacto imediato na aparência e autoestima das crianças e adolescentes. Crianças obesas estão expostas a estigmas de peso e podem ser vulneráveis a danos psicológicos, como depressão e ansiedade, além da repercussão negativa na vida social, incluindo bullying, isolamento e retraimento social, que podem levar a tendências desfavoráveis, como comer demais e praticar apenas atividades individuais e sedentárias.


O tratamento da obesidade é complexo e multidisciplinar, devendo envolver toda a família na busca por hábitos de alimentação saudável e prática de exercícios físicos. Algumas dicas são importantes:


- Dar preferência às frutas, legumes e vegetais.

- Limitar o consumo de líquidos doces como sucos industrializados e refrigerantes.

- Optar por alimentos integrais aos refinados.

- Não “beliscar” entre as refeições.

- Reduzir o tempo de tela a 2 horas ao dia (excluindo as horas destinadas a atividades escolares).

- Praticar exercícios físicos regularmente, seja ele programado (caminhadas, corridas, aula de dança) ou não programado (brincadeiras como pega-pega, esconde-esconde).

© Lista da saúde 2018. Todos os direitos reservados.
Sisdado tecnologia